Vinícius de Moraes

Nascido em 1913 no Rio de Janeiro, Vinicius de Moraes, um dos mais famosos nomes da MPB, foi escritor, poeta, jornalista, crítico de cinema e diplomata. Seu dom artístico aflorou muito cedo: aos 9 anos escreveu seus primeiros poemas e, aos 14, formou um pequeno conjunto musical para tocar em festinhas com amigos do colégio Santo Inácio, onde fez os estudos secundários.

Vinicius de Moraes no colégio Santo Inácio. Fonte: site Vinicius de Moraes

Desde jovem, aderiu ao estilo de vida boêmio frequentando rodas literárias e noitadas cariocas, gostava de fumar cigarros e tomar uísque. Era muito sociável, fez amizade com músicos e grandes nomes da literatura brasileira.

Aos 20 anos, formou-se como advogado. Em 1942, passou no concurso do Itamaraty e ingressou na carreira diplomática até 1969, quando foi exonerado pelo regime militar.

Escreveu para importantes periódicos como A Manhã, O Jornal, Diário Carioca, Última Hora, Flan, Senhor e Pasquim. Sempre flertou com o teatro e cinema. Em 1956, levou para os palcos Orfeu da Conceição, uma adaptação da obra grega Orfeu e Eurídice ao cotidiano carioca. A peça estreou no Theatro Municipal e se tornou sucesso imediato: apresentou grandes artistas e marcou o início da sua parceria histórica com Tom Jobim. Carlos Scliar e Djanira foram responsáveis pelos cartazes e pelo programa e Oscar Niemeyer cuidou do cenário. Em 1959, a peça foi levada para o cinema pelo francês Marcel Camus. O filme, intitulado Orfeu Negro, recebeu a Palma de Ouro e Oscar de Melhor Filme estrangeiro.

Vinícius com atores da peça Orfeu da Conceição. Entre eles, Abdias Nascimento e Léa Garcia. Fonte: Revista Usina

A dupla Tom e Vinicius lançou a MPB para o mundo com a canção “Garota de Ipanema”, o hino da Bossa Nova. Escrita em 1962, a letra foi inspirada em Helô Pinheiro, uma jovem que passava em frente ao bar do Veloso, em Ipanema, literalmente “a caminho do mar”.

Vinícius com Helô Pinheiro, a Garota de Ipanema. Fonte: Conexão Jornalismo

Nos anos 70, Vinicius conheceu outro importante parceiro musical, Toquinho: juntos fizeram diversos shows e mais de 15 discos, entre os quais o icônico Arca de Noé – voltado para crianças e com músicas interpretadas por grandes nomes da música brasileira, como Chico Buarque, Milton Nascimento e Elis Regina.

Vinicius morreu no dia 9 de julho de 1980, de edema pulmonar. Depois de sua morte, a famosa rua Montenegro onde ficava o Bar do Veloso (depois, Garota de Ipanema), passou ostentar o seu nome.