Johnny Alf

Rapaz de Bem – Johnny Alf

O marco da Bossa Nova no Brasil é o lançamento do LP de João Gilberto, Chega de Saudade, de 1959. Porém, sete anos antes, um pianista e compositor carioca lançava as bases desse gênero.

Johnny Alf nasceu Alfredo José da Silva, em 19 de maio de 1929, no Rio. Quando tinha 3 anos, o pai morreu e a mãe foi trabalhar como lavadeira na casa de uma família que acabou apadrinhando o pequeno Alfredo. Aos 9 anos começou a estudar piano com a profa. Geni Alves, que percebeu seu talento e ofereceu uma formação rígida, voltada ao erudito. Além dos clássicos, Alfredo também gostava de ouvir Carmem Miranda, Francisco Alves e Sílvio Caldas. Na rádio Cruzeiro do Sul, teve acesso ao jazz: Stan Keaton, Billie Holiday e Nat King Cole.

Johnny Alf

Nos anos 1940, Alfredo foi convidado a tocar piano em eventos do Instituto Brasil Estados Unidos (IBEU) e fez apresentações para a Rádio do Ministério da Educação. Foi nessa época que o nome Johnny Alf surgiu: Alf já era seu apelido na escola e Johnny, por ser popular nos EUA.

Em 1949, Alf tornou-se integrante do Sinatra-Farney Fã Club e passou a se apresentar no clube. Ele costumava se apresentar por horas e os ouvintes imploravam para que ele não parasse de tocar. Dick Farney abriu as portas para seu primeiro emprego: pianista da Cantina do César, um piano bar em Copacabana.

Johnny Alf ao piano

Em 1953 Johnny Alf lançou um disco com a música “Rapaz de Bem” que, com sua complexidade e ritmo sincopado, é considerada por alguns historiadores como precursora da bossa nova.

Entre 1954 e 1955, tocou no bar do Hotel Plaza, frequentado por muitos músicos em começo de carreira, como Tom Jobim, João Gilberto e Dolores Duran. Tom Jobim ia ao Plaza ouvir Alf, que ia ao Tudo Azul assistir Tom.

Apesar de ter sido apelidado de Genialf, ele nunca ocupou posição de destaque. O fato de ser negro, gay e de origem pobre em um país racista, homofóbico e classista, além de sua personalidade reclusa, fizeram com que ele ficasse sempre em 2º plano. O seu prestígio nunca esteve à altura da sua genialidade. Passou os últimos anos em um lar para idosos e morreu em 2010.

Johnny Alf morreu em 4 de março de 2010, em Santo André (SP). Foto: Revista Rolling Stone