Hotel Avenida e Galeria Cruzeiro

Onde hoje ergue-se o Edifício Avenida Central, antes brilhavam o Hotel Avenida e a Galeria Cruzeiro, símbolos da Belle Époque carioca e construídos aos moldes da arquitetura eclética de influência europeia.

Inaugurado em 1910, o Hotel Avenida contava com o que tinha de mais moderno em suas instalações: seus 220 quartos eram iluminados com energia elétrica e foi um dos primeiros prédios da cidade a ter elevador.

Detalhe da fachada do Hotel Avenida. Foto de Marc Ferrez. Fonte: site Estilos Arquitetônicos

A Galeria Cruzeiro, assim chamada por conta de duas passagens em cruz, ficava no andar térreo do Hotel. Ali funcionava a estação circular de bondes da Companhia Ferro-Carril do Jardim Botânico que ligava o Centro à Zona Sul.

A Galeria também abrigava uma grande quantidade de estabelecimentos comerciais: lojas que ditavam a moda da cidade, restaurantes e bares. Era um espaço de reunião de boêmios por conta dos famosos bares Nacional e Franziskaner, frequentados por João do Rio, Olavo Bilac, Manuel Bandeira, Pixinguinha e Noel Rosa.

A Galeria Cruzeiro, no andar térreo do Hotel Avenida. Fonte: site Estilos Arquitetônicos

Era também um dos principais cenários do carnaval carioca, concentrando os foliões que chegavam nos bondes lotados e ruidosos. “A felicidade saltava dos bancos de madeira dos bondes para as mesas de mármore dos bares.”

Ela foi perdendo importância a partir de 1937, quando a estação de bondes passou a funcionar no recém-inaugurado Tabuleiro da Baiana e foi eleito como lugar preferido de bicheiros e camelôs.

Hotel Avenida e Avenida Central em 1920. Foto de Augusto Malta. Fonte: site Estilos Arquitetônicos

Em meados dos anos 1950, a notícia da demolição mobilizou parte da população mas o prédio veio abaixo assim mesmo, em 1957, para dar lugar ao Edifício Avenida Central.