Frescobol

Carioca da gema, o frescobol foi criado na Copacabana dos anos 1940, embalado pelas transformações por que passava o bairro da Zona Sul. Frequentadores da famosa praia iniciaram sua ressignificação, afastando-se do glamour noturno das boates e passando a ocupar a imensa área de lazer à beira-mar. Como muitos destes moradores tinham no tênis um hobby, a adaptação do esporte às areias seguiu um fluxo natural.  

Uma das versões sobre a origem do frescobol credita sua criação ao arquiteto, morador de Copacabana e tenista nas horas vagas Caio Rubens Romero Lyra, que costumava levar raquetes e bolas de tênis para treinar na praia, entre os postos 4 e 5. Como os equipamentos sofriam os estragos causados pelo vento, pela areia e pela maresia, o tenista teve a ideia de desenhar raquetes de madeira resistentes à água salgada e bolas lisas, sem os pelos das usadas nas partidas de tênis. O dono de uma carpintaria na Rua Souza Lima fabricou as raquetes e, assim, teria sido inventado o frescobol, jogado em duplas ou pares, na parte de areia mais dura próxima à água. 

Luiz Carlos Silva (Luiz Negão), embaixador do frescobol, conta a história do esporte. Yasmin Aguiar 

Outra narrativa tem protagonistas diferentes, mas os enredos se aproximam. Frequentador do trecho da praia entre o Hotel Copacabana Palace e a Rua Duvivier, Lian Pontes de Carvalho teria criado o esporte em 1945. Ele era dono de uma fábrica de pranchas, móveis para piscina e esquadrias de madeiras e começou a fabricar raquetes de frescobol para vender na Praia de Copacabana, com a ajuda dos salva-vidas. 

Há, ainda, uma terceira versão que assinala como pai e inventor da modalidade o escritor e cartunista carioca Millôr Fernandes. Ele é autor de um painel em homenagem ao frescobol na Praça Sarah Kubitschek, onde escreveu: “único esporte com espírito esportivo, sem disputa formal, vencidos ou vencedores”.  

Millôr Fernandes jogando frescobol no Arpoador. Editora L&PM – site Zona Curva

Em 1984, o frescobol passou de brincadeira preferida da turma da praia a esporte organizado, com a criação de federações, torneios estaduais e campeonatos mundiais. Com a popularização, veio também a regulamentação: no Rio, por exemplo, as partidas obedecem a regras delimitando em que horários e locais estão permitidas.  

Frescobol na praia de Ipanema. Foto de André Teixeira. Site Coca-cola Brasil
Skip to content