Conjunto Habitacional Cruzada São Sebastião

Em uma área nobre da Zona Sul, próximo ao Jardim de Alá, surgiu, em meados dos anos 1930, a favela da Praia do Pinto, uma das maiores favelas planas da cidade, com cerca de 9 mil moradores. Na madrugada de 12 de maio de 1969, um incêndio nunca justificado, destruiu mais de mil barracos, deixando a população desabrigada. 

Desde a década de 1950, o bispo auxiliar do Rio de Janeiro e secretário geral da Confederação Nacional dos Bispos Brasileiros (CNBB), D. Helder Câmara, desenvolveu uma pastoral das favelas e concentrou sua atenção na Praia do Pinto. D. Helder desenvolveu um programa de auxílio aos segmentos populares que envolvia a construção de edifícios em terrenos próximos às favelas e que serviriam para a transição de moradores de um lugar para outro. 

Dom Hélder Câmara. Fotógrafo não identificado – site Arqrio

O incêndio na Favela da Praia do Pinto – que ocorreu em um tenso período de resistência às remoções, por parte dos moradores das favelas – abriu o precedente para a construção de um conjunto de prédios em pleno Jardim de Alá, para onde foram transferidos alguns moradores da Favela da Praia do Pinto. 

 Projeto para a construção de um condomínio no local onde era a Favela da Praia do Pinto. Site Medium

O Conjunto Habitacional Cruzada São Sebastião, inaugurado em 1955, possui dez prédios e 945 apartamentos de dois quartos com todos os equipamentos urbanos necessários para a vida dos moradores, como escola e a Igreja Santos Anjos, o portal de entrada para o conjunto e que serve de apoio espiritual e social para os habitantes da Cruzada São Sebastião.

Fotógrafo não identificado. Fonte: A Cruzada ontem e hoje – matéria do jornal O Globo, Rio de Janeiro, 8/102013. Agência O Globo. Disponível em http://oglobo.globo.com/rio/a-cruzada-ontem-hoje-10538269

 

Skip to content