A criação do Parque Madureira

Autores: Maria Clara Fagundes, Ana Grizelides, Maria Eduarda Catanho, Taíssa Brito, Guilherme Sanches.

No século XIX, o Rio de Janeiro acabara de receber a condição de sede do reino e não tinha uma grande população no seu interior, que era conhecido como sertão carioca. A região era formada por grandes propriedades rurais, entre elas a fazenda do Campinho, que mais tarde se tornaria Madureira. O arrendatário Lourenço Madureira se tornou dono da fazenda após a morte de seu dono anterior, Francisco Ignácio do Canto. 

O bairro começou a tomar forma com o loteamento das terras e ficou popularmente conhecido como “Madureira”, associado ao dono do local. O nome Madureira só passou a ser realmente contado em 1890, com a inauguração da “estação de Madureira”.

O Parque Madureira é um dos lugares mais característicos do bairro.

Visão do Parque através do satélite

(Guilherme) Eu particularmente, sempre  lembro dele quando penso em passear por Madureira. 

Ruy Resende. Arquiteto e Urbanista, responsável pelo projeto do Parque Madureira

É um grande exemplo de boa transformação de espaço. O projeto foi desenhado por Ruy Resende, arquiteto e urbanista, e idealizado pelo engenheiro Mauro Bonelli, antes disso era uma área abandonada e esteticamente desagradável, que havia crescido sem controle.

 

Mauro Bonelli. Engenheiro responsável pela obra do Parque Madureira.

O projeto foi muito bem sucedido, aumentando drasticamente a beleza natural do lugar, o valor das residências ao redor e fazendo alguns dos moradores mudarem as estruturas de suas casas para ficar de frente para a visão privilegiada do parque.

O parque possui um formato de uma linha, com o comprimento bem maior que a largura, olhando no mapa é como se ele dividisse o bairro pela metade.

Isso deve-se ao fato de que ele foi construído ao lado de uma linha de trem, o que não é algo incômodo, sendo que em todas as vez que fui lá, eu mal reparava nisso.

Visão do Parque através do satélite

Foi inaugurado em 23 de junho de 2012, com a ideia de tratar questões educativas e socioambientais, instigando o envolvimento da comunidade local com as vivências proporcionadas pelo parque.

(Guilherme) A primeira vez que fui lá com minha tia foi em 2013/14, na época não era tão grande quanto é hoje.

Hoje possui uma área com mais de 160 mil metros quadrados e diversas atrações, como: a prainha de rocha Miranda, em que eu e minha irmã fomos no dia de inauguração; teatros – onde vimos uma peça interessante sobre Leonardo da Vinci -, áreas ótimas pra piqueniques, onde a Maria Eduarda disse já ter ido e se divertido muito, brincando e gravando vídeos, entre outras atrações ótimas.

O parque tem 4 áreas separadas, todas com entradas, tendo como escolher a de sua preferência.

(Guilherme) Minha família sempre opta pela primeira entrada que é a mais próxima de onde moramos.

É a terceira maior área verde do Rio de Janeiro, perdendo apenas para o Aterro do Flamengo e a Quinta da Boa Vista. O parque possui cerca de  800 árvores, que são bem divididas pelo espaço todo do parque.

Apesar do nome, a maior parte do parque Madureira se localiza fora do próprio bairro.

Ele apenas começa em Madureira, atravessa Turiaçu, Honório Gurgel e termina em Guadalupe.

O parque também realiza diversos eventos, como festivais musicais e de dança.

A Maria Eduarda conta a história de um evento de dança em 2013/14 que ela participou junto de seu antigo grupo de dança. De acordo com ela, foi a primeira vez que se apresentou em público, sendo uma experiência diferente e importante.

LINKS DAS FONTE DE PESQUISA:

Galeria da arquitetura

Escritório RRA

G1

Google Maps

Prefeitura do Rio de Janeiro 

Extra

Professora: Janete Ribeiro

Turma: PAV 101