Tuiuti

Autores: Tarcia de Deus, Dandhara Cristina Caetano, Ruhan Ramos e Maria Victoria Vieira

O Morro do Tuiuti é uma favela localizada no bairro de São Cristóvão, no município do Rio de Janeiro.

Morro do Tuiuti. Imagem retirada da página de Facebook São Cristóvão

– Topônimo 

Existem duas possibilidades para a origem do topônimo “Tuiuti”: (1) é uma palavra de origem tupi, significando, nessa língua, “rio do lamaçal”, através da junção de tuîuka (lamaçal) e ty (rio). Seria uma referência à Batalha de Tuiuti, na Guerra do Paraguai; (2) é uma referência ao pássaro conhecido como “tuiuti”.

História 

Sua história é tão antiga quanto a do bairro de São Cristóvão, remontando aos tempos do Império. Quando a família real portuguesa aportou no Rio em 1808 fugindo do exército de Napoleão, a cidade se transformou, da noite para o dia, de um remanso colonial adormecido em uma metrópole imperial. A nova sede do poder passou a ser o Palácio Real de São Cristóvão, na Quinta da Boa Vista, a um passo do Morro do Tuiuti.

O Morro do Tuiuti tem uma longa tradição de atividades carnavalescas, tendo dado origem à escola de samba Unidos do Tuiuti, Paraíso das Baianas e ao bloco carnavalesco “Bloco dos Brotinhos”. As três agremiações deram origem à atual escola de samba Paraíso do Tuiuti. 

Em 3 de novembro de 2011, a comunidade passou a ser atendida pela 18° Unidade de Polícia Pacificadora. 

Imagem retirada de twitter.com

Fatos sobre o Tuiuti

No desfile de carnaval do ano de 2018 a Paraíso da Tuiuti escolheu questionar “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”. 

A escola recontou a história da escravidão no Brasil, criticando o fato de seus resquícios se perpetuarem, e também as dificuldades que o trabalhador brasileiro enfrenta.

Foi possível enxergar a emoção de quem estava no sambódromo. 

A Comissão de Frente, chamada “O grito de liberdade”, fez encenações de escravizados sendo açoitados. O abre alas “Quilombo Tuiuti” veio com enormes rinocerontes dourados. Atrás, vinha um carro mostrando um navio negreiro.

Imagem retirada de g1.globo.com
Imagem retirada de g1.globo.com
Imagem retirada de g1.globo.com

Foi nos últimos carros, porém, que a polêmica se instalou, trazendo as cítricas sociais atuais. A presença dos “manifantoches” – como ficaram conhecidos os manifestantes a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff – provocou quem foi às ruas em 2015, passando a ideia de que não passava de uma manipulação.

Imagem retirada de g1.globo.com
Imagem retirada de g1.globo.com

 

O último carro tinha o item mais polêmico e, por consequência, o que chamou mais atenção, um vampiro com faixa presidencial. Vale ressaltar que o presidente da época, Michel Temer, era apelidado de vampiro, e possuía certa semelhança com o boneco.

Vampiro com faixa presidencial no último carro do Paraíso do Tuiuti. Imagem de g1.com

O desfile da Tuiuti ficou em segundo lugar e teve muito impacto na mídia, por isso foi alvo de críticas positivas e negativas, mas a sua relevância e coragem ao abordar assuntos tão polêmicos é inegável e inesquecível. 

Pandemia 

No período pandêmico vários barracões fecharam, inclusive da Tuiuti, reabrindo oficialmente apenas a partir de novembro de 2020, porém a escola funcionava antes para eventos com número de pessoas reduzido, com apresentações de repentistas e dançarinos.

No período da pandemia a escola arrecadou alimentos para doação. Hoje a escola demonstra grande animação, com o desfile confirmado para 2022.

Imagem retirada do site da Escola de Samba Paraíso do Tuiuti
Imagem retirada de liesa.globo.com

Para o bairro de São Cristóvão

É fácil chegar até o Paraíso do Tuiuti, que fica na R. Caieiras, 2. As linhas de ônibus 277, 265, 269, dentre outras, são algumas das conduções que podem te deixar lá.

O paraíso do Tuiuti vem agregando sua história ao bairro desde 1952, através da sua cultura, influenciando os próprios moradores a participar.

Professoras: Elisabete Ferreira e Helen Padilha

Turma: GTR 301