Magazine Parc Royal

No dia 9 de julho de 1943, por volta das 20h30, um incêndio de grandes proporções tomou conta do imponente edifício do Magazine Parc Royal no Largo São Francisco de Paula, destruindo totalmente o que foi a sede de uma das primeiras lojas de departamentos do Rio de Janeiro.

Matéria no Jornal A Noite – 13/07/1943. Imagem retirada do blog Moda Histórica

Inaugurado como um pequeno armarinho em 1873 por Francisco Fernandes da Silva Vianna, em 1889 o Parc Royal já ocupava 4 prédios no Largo São Francisco de Paula, entre a Rua dos Andradas e o Beco do Rosário. Depois de diferentes sociedades gerirem o negócio, em 1911 a Vasco Ortigão & Cia assumiu a propriedade. Esse foi o momento de maior expansão do Magazine, que inaugurou sua nova sede no terreno contíguo à Igreja de São Francisco de Paula e passou a ocupar todo o quarteirão da atual Rua Ramalho Ortigão – antiga Travessa São Francisco de Paula.

Interior do Magazine Parc Royal – Augusto Malta. Imagem retirada do blog Moda Histórica

Com novidades importadas diretamente de Paris, a loja reunia peças de vestuário para homens e mulheres, calçados, artigos para casa e uma seção de brinquedos – novidade para a época, pois o mundo infantil não era comumente associado ao consumo. Outra novidade muito divulgada era a política de preços fixos praticada pelo Parc Royal, diferente das demais lojas cariocas que costumavam precificar as mercadorias de acordo com a aparência do cliente.

Além da sede no Largo São Francisco e uma filial na Av. Central, inaugurada em 1906, o Parc Royal tinha filiais em Juiz de Fora e Belo Horizonte (MG) e um escritório em Paris, responsável por comprar e enviar as mercadorias aos clientes brasileiros. Mas todas as lojas deixaram de funcionar após o incêndio, noticiado pela imprensa do período como o maior e mais trágico da cidade até então. A tragédia provocou a morte de cinco bombeiros que lutavam para apagar as chamas, que se alastraram rapidamente e atingiram as fachadas da Casa Cruz e Mattos e de uma confeitaria próxima. Além disso, muitos vitrais da igreja se partiram com o calor do fogo.

Mulheres observam fachada da filial do Magazine Parc Royal na Avenida Central. Foto de Augusto Malta. Colorização de Reinaldo Elias. Imagem retirada do blog Saudades do Rio

Em 1943, os proprietários da loja eram José Leite Cerqueira e José Ferreira Barcelos. Este último foi autuado em flagrante como autor do incêndio que encerrou as atividades do Magazine que, por 70 anos, ditou moda entre mulheres, homens e crianças das cidades em que se estabeleceu.

Referências:

GORBERG, Marissa. Parc Royal: um magazine na modernidade carioca. Dissertação de mestrado – Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil, Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais. Fundação Getúlio Vargas, 2013.