Cinemas do subúrbio

Foto: Luiz Betthencourt – Cine Imperator – 1985 – Agência O Globo

Ao menos dois cinemas eram destaque nos subúrbios da cidade. O Cinema Imperator, inaugurado em 1954 na Rua Dias da Cruz, no Méier, tornou-se referência para o público da Zona Norte. Abrigava até 2,4 mil pessoas e viveu seu auge exibindo filmes protagonizados por nomes como Elvis Presley e James Dean. Mas a fama de juventude transviada extrapolou as telas e, durante certo tempo, foi até considerado um espaço impróprio às moças de bons costumes, já que, em seus corredores, circulavam os rapazes da pesada da chamada “turma do Imperator”. Em 1986 encerrou suas atividades de exibição e, na década de 1990, transformou-se numa importante casa de shows que funcionou até 1996. Em 2012 reabriu como Centro Cultural João Nogueira sob responsabilidade da Prefeitura.

O Cine Vaz Lobo foi inaugurado em janeiro de 1941, no bairro do mesmo nome, e foi considerado um importante marco no desenvolvimento cultural da região. Uma das melhores salas de exibição da cidade, suas atividades se encerraram em 1986. Em 2009, o prédio iria ser demolido para a construção de um trecho da Transcarioca, mas a mobilização dos moradores fez com que o projeto fosse alterado, salvando o prédio.

https://www.youtube.com/watch?v=rtD9g-AQwJs
Cine Vaz Lobo – O filme (curta metragem)

Já o Cine Olaria, fundado inicialmente como Cine Santa Helena nos anos 1920, funcionou por décadas como polo cultural no subúrbio do Rio. A sala comportava cerca de 800 pessoas e exibia filmes de grande sucesso durante o século XX. Fechado desde os anos 1980, passou por um período de abandono até o anúncio de sua revitalização em 2018. O antigo cinema dará lugar a um empreendimento residencial-comercial, mantendo as características originais do prédio.

Foto: Zalmir Gonçalves – Fachada do Cinema Olaria – 18/07/1986 – Agência O Globo