“Desculpe atrapalhar o silêncio de sua viagem”

Ambulantes em praia do Rio de Janeiro

Basta pôr o pé na areia. Não demora muito e já começamos a ouvir os ambulantes anunciarem a plenos pulmões um produto cuja história de 75 anos é denunciada pela embalagem eterna: “Ó o Globo! É o salgado e é o doce”. Sempre acompanhado pelo mate gelado, o biscoito ainda mantém ares retrô, e é um dos símbolos do Rio.

https://www.youtube.com/watch?v=54eTEgpbjAQ

Mas as areias cariocas também acolhem os bordões e cantorias de vendedores de cerveja, cangas, sorvete, óculos de sol, sanduíche. Alguns surfam na onda gourmetizada, oferecendo hambúrgueres de nomes rebuscados e acepipes de grife — quem não conhece o sucolé do Claudinho? A variedade de produtos é imensa, e a gritaria se mistura ao som das ondas do mar, dos pés se arrastando na areia, das resenhas após as partidas de futevôlei, das canções que vêm de caixinhas de sons e dos quiosques, num singular burburinho.

Foto: Monique Cabral – Vendedor ambulante na Praia de Copacabana – Agência Tyba

Não por acaso, em 2012 os vendedores ambulantes tornaram-se Patrimônio Cultural e Imaterial da cidade do Rio de Janeiro. Mas não pense que estão apenas na praia. Eles também circulam com seus bordões irreverentes e inventivos em ônibus, trens e metrôs. Não raro, usam um mote para começar a longa explanação sobre o produto que oferecem: “Desculpem atrapalhar a tranquilidade da sua viagem”.

E há os ambulantes que, a despeito do nome, mantêm-se fixos em ruas e em praças, ou ainda nos chamados “camelódromos”. Um dos mais famosos é aquele que integra a Saara, a Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega, no Centro do Rio, por onde ecoa sua inconfundível vinheta: “Rádio Saara, a voz do Centro do Rio!”. Mas há vários outros, como o de Madureira, próximo ao Mercadão, e o de Campo Grande, nos quais a variedade de produtos — e de sons — é enorme.  Neste infindável universo sonoro, em meio ao burburinho das conversas e negociações, os vendedores tentam atrair clientes através de sambas, hinos evangélicos, e berros anunciando as principais pechinchas do dia.

https://www.youtube.com/watch?v=YuC2jGq7ZUs