Entre o sagrado e o profano

Não raro, o som dos tambores se mescla às badaladas dos sinos nas igrejas. O ritmo do samba, com seu ímpeto sensual, é herança transformada de tradições de matriz africana. Odô Yiá, Odô Yiá, celebram os adoradores de Iemanjá, misturando sua cantoria ao barulho do mar. Na madrugada de 23 de abril, os fogos acordam a cidade: é alvorada de São Jorge. No mesmo dia, os terreiros oferecem batuques a Ogum. O Rio é uma encruzilhada de sons, espaço marcado pela interseção de culturas cujo resultado cotidiano é o enlace pulsante entre fé e festa.